sexta-feira, 30 de julho de 2010

Onde é que eu já vi isto?!

A maioria dos integrantes dos grupos folclóricos não faz a mínima ideia do que é folclore e/ou anda lá para passear. Isto em várias centenas de ranchos! Utilizando um formato de apresentação criado no início da década de 20 e trabalhado até à exaustão por alguns grupos (especialmente durante o Estado Novo) que se mantém ainda hoje! Quase 100 anos depois!...

Já há quem pense de formas diferentes, que experimente novas abordagens ao folclore a nível de apresentação. Infelizmente, esse numero ainda é muito reduzido, pois em grande parte a preocupação dos grupos é mudarem isto ou aquilo, nesta moda ou naquele traje, conseguindo por vezes efeitos espectaculares.

Espectacularmente ridículos, claro.

E nessa azáfama toda não se apercebem que centenas deles são como que o mesmo episódio de uma serie de televisão, com diferentes dobragens, roupagens e bandas sonoras, mas exactamente os mesmos acontecimentos!...

Há que apostar em novas formas de representar. Trabalhos, romarias, religião, todas as partes que constituíam vida dos nossos antepassados. O que vejo é um meio folclórico cada vez maior - onde os seus integrantes adoram mostrar os seus dotes a cantar, tocar, dançar (ou tudo ao mesmo tempo) independentemente de ser ou não fiel ao passado!

E, apesar de serem aos montes, há cada vez menos folclore no ranchos!...

sexta-feira, 23 de julho de 2010

Romaria da Santa Marta da Falperra e Santa Maria Madalena 2010


Mais um ano, mais uma edição de uma das mais antigas romarias do Minho.

Situado entre os Concelhos de Guimarães e Braga, o recinto da Romaria e a sua zona envolvente tem todos os elementos que caracterizam uma festividade Galaica.

Tal como outra romaria (bem mais pequena) bem perto desta, encontram-se os valores essências para a sacralização de um lugar.

Falamos pois de:

Um Castro:


Situação elevada:


Cristianização do sanctuário outrora pagão:



Esta romaria, como muitas da zona Galaica mistura o culto Católico com o culto Pagão. Pessoas diferentes, em tempos diferentes, com objectivos diferentes. No entanto, ainda coexistem dois hábitos e cultos distintos.

Culto Católico:

Capela de Santa Maria Madalena - Longos

Capela de Santa Marta da Falperra - Longos/Nogueira

Culto pagão (ou neo Pagão - Wicca):



Hoje como sempre, porém, a vertente profana da festa é que atraí as multidões. Sem o sue apelo, a romaria nunca se teria tornado num fenómeno cultural tão popular.

Procurando por velhas memórias:

"A alfádiga Viuda, ten flor de cor violeta e a outra a flor branca. Na romeria de Santa Marta, mozas e mozos pasan o tempo nubándose uns ós outros os ramos que levan no peito. Ali véndese en mollos. Tamen a venden en Guimarães, un mes denantes do Santiago as mozas campesiñas, todos os sábados e domingos, e quen dar unha esmola pro Santiago da Costa leva un ramalludo pe de alfadiga."
Antón Fraguas Fraguas

Olhando para o presente:

segunda-feira, 12 de julho de 2010

FESTIVAL FOLK CELTA DE PONTE DA BARCA 2010

Andava ansioso! E eis que fiquei absolutamente fascinado com o cartaz!

Em 2 dias seguidos a poucos quilómetros de casa, com entrada livre, os 2 grupos que mais admiro!

GRANDE FESTIVAL:


FESTIVAL FOLK CELTA DE PONTE DA BARCA. CADA VEZ MELHOR....

Mais informações:

twitter.com/folkcelta
folkceltabarca.wordpress.com
myspace.com/folkceltabarca

domingo, 11 de julho de 2010

Bons sapatos boas romarias!



nome:Mário Araújo Fernandes
idade:69
local:S.Torcato
concelho:Guimarães
contacto:966846708
descrição:A arte de sapateiro da zona de Guimarães

quarta-feira, 7 de julho de 2010

Romaria de São Torcato - 1º Domingo de Julho

Chocando com a cada vez maior apatia e decréscimo destas festas, ficam pequenas partes da obra "Para onde vais Maria" de Manuel de Sousa Pinto, 2ª edição - 1922.

Nesta relata-se e pinta-se a realidade de o que outrora foi uma Romaria de dimensões ímpares em Portugal.

Ao contrário de outros concelhos Minhotos, que muito ganham com o facto, Guimarães deixou cair (digam o que disserem) estas manifestações étnicas e culturais. Por causa disso, perdem-se além de muito dinheiro, imensas oportunidades de promoção a nível turístico e não só.


"Ao escrever-lhe o título de algazarra e festival, sinto-o a puxar violentamente na minha pena, como um foguete impetuoso, que quer, subindo, ir pr oclamar, bem alto, a grandeza magnífica do seu arraial; a gloriosa, tumultuosa, atropelada animação dos seus devotos, postos a caminhar horas e horas, léguas e léguas, para alcançarem o santinho incorrupto, que, sobre todos os discutíveis milagres que se lhe atribuem, um, imenso, anualmente realiza : esse jocundo milagre da sua festa colossal de multidão, que é um hino vivo e descomunal de alegria."


"Pois mesmo no Minho, neste verde Minho que me acolhe e delicia uma vez mais no seu regaço de fartura, nenhuma outra das suas festas mais célebres leva a palma ao São Torcato: nem a Senhora do Porto de Ave, nem a Abadia nem o Sameiro, nem o São Bento da Porta Aberta, nem a Peneda, nem, ainda que se lhe aproximem, o São João de Braga ou a Agonia em Viana."

Mosteiro de São Torcato em 1922

"Que bemdita sejas, jovial heroina da chula e da desgarrada ! Bemdito teu peito moço, arca inesgotável de som ! Bemdita a tua boca vermelha e gaiata, boceta de rimas fáceis e toadas ligeiras ! Bemditas tuas pernas rijas e trigueiras de andarilha e bailadeira ! Beindita a primavera de todo o teu corpo, ainda sem noivado, que devias conservar assim puro e viçoso, sem amores que te emurcheçam a voz insinuante, e sem nunca passares dos teus dezoito anos infatigáveis!"



sexta-feira, 2 de julho de 2010

Castro Galaico Festival de Nogueiró


Finalmente uma iniciativa Galaica na sua nobre capital de Conventus.

Submergidos pela ideia de Roma, Bracara Augusta, terra dos Brácaros, há muito precisava de promover a sua verdadeira cultura étnica.

Parabéns aos impulsionadores do evento.