quarta-feira, 18 de março de 2009

O despertar do Carvalhal..

Tenho um apreço especial pelos Carvalhos.

Não só por ser uma árvore sagrada para os nossos antepassados e por ser fonte de vida e suporte para dezenas de outros seres, mas também porque é uma árvore com personalidade.

Digo isso porque de facto cada um tem a sua cor. São como que pessoas. Cada uma com as suas características e reagindo à sua maneira. Na mesma tarde de outono uns tem tonalidades verdes escuras, outros já puxam para o laranja enquanto que noutro local já perdem as folhas.

Olhando para cada um temos mensagens diferentes.

Há dois meses atrás este era o cenário do meu Carvalhal favorito:

Congelados pelas longas noites de Inverno jaziam silenciosos e fazendo de conta que não estava ali ninguém.

Com o Carnavalesco anúncio do regresso da estação fértil, despontaram os primeiros sinais reveladores do despertar da terra. Olhando para o Carvalhal entendemos o que ela sente. Em que ponto está.

Uma semana atrás os Carvalhos estavam a despertar choramingosamente. Muito tímidos, como que aborrecidos pelo incómodo...

A crescente persistência do nosso astro solar que, nos últimos dias, nos tem visitado intensamente fez o resto.

Bem dispostos, pujantes nas suas variantes particulares de verde viçoso a fluorescente, os Carvalhos explodem de vitalidade.

Vemos-los ao longe, por entre os anónimos eucaliptais, a brilhar como se entes iluminados fossem. São distintos! Querem falar a quem tiver a sensibilidade de querer ouvir!

Num espaço de 2 semanas a metamorfose é completa. A aparente Morte revela a inesgotável força vital que, misteriosamente, brota deles.

E agora há os cheiros que flutuam no ar morno. A luz que penetra e brilha dentro dos bosques. O silêncio reconfortante que neles se ouve apenas é quebrado por mensageiros alados que cantam os segredos do universo.

E eu, por baixo deles sinto-me protegido. Sei que estou bem acompanhado.

Se um dia reencarnar quero ser um Carvalho.

Para poder sussurrar os mistérios da Natureza a quem os quiser saber...

3 comentários:

Elaneobrigo disse...

bom... riencarnar num carvalho parece-me bem... pelos menos "bogalhos" e "tronco" já deves ter!

ohohohoh

já não falta tudo...

Elaneobrigo disse...

na nossa zona existem dois tipos de carvalhos.

o carvalho roble ou alvarinho: um carvalho robusto (tipo carvalho de calvo) que florescem em abril/ maio. preferm zonas húmidas e podem atingir os 40 m. esta arvores dão fruto que é a bolota!

carvalho negral: de menor porte e com folhagem mais arredondada. atingem uma altura maxima de 20m.

para quem não sabe, nos carvalho nescem os chamados "bugalhos", que parecem frutos mas que mais não são... os bulhados são uma reacção da planta à picada de um insecto, servindo o bugalho para ninho dos insectos.

A. Couto disse...

O carvalho... a sabedoria e a soberania... quem nom quere ser um? :)