sexta-feira, 6 de junho de 2008

Paganismo Vs Catolicismo


Todos já ouviram falar acerca das bruxas que populam o nosso imaginário e as nossas aldeias.

Ninguem acredita nelas mas que as há, isso há!

Eu, pessoalmente, tenho o maior respeito por estas pessoas pelo simples facto delas continuarem a perpetuar uma arte e compilação de crenças mais antigas do que qualquer ritual católico.

Bruxas há as em todo o lado. Porém, o Norte de Portugal é especial. Em qualquer sítio podem se encontrar mezinhas e restos de rituais cujas perversas autoridades eclesiásticas consideraram satânicas e que os neo-celtistas dizem ser Wicca.

Podem pensar mais uma vez que estou a fazer demagogismo ou que estou a ser chauvinista porém, para quem conheça a história de um reino chamado Gallaecia, isso não apresenta qualquer surpresa.

A maior prova de que o paganismo (neste caso, um conjunto de crenças do ramo Celta) era a maior demonstração religiosa dos Galaicos está patente por exemplo no envio de São Martinho de Dume a Braga pelo papa, para que este acabasse de vez com estas práticas intoleráveis. Também a invenção do Milagre de São Tiago (visando um ressurgimento da fé católica para forçar a reconquista das terras aos infiéis Mouros) demonstra bem o pouco interesse que os Galaicos tinham para com este estrangeiro chamado Jesus que se dizia ter ressuscitado.

Que tinha isso de especial? O panteão divino Celta baseava-se também na temática da ressurreição... Justifica-se também por aí o facto do catolicismo ter sido tão facilmente e intensamente absorvido pelas comunidades Celtas de toda a Europa. Na verdade, o catolicismo está tão embrenhado de cultos e rituais pagãos que uma pessoa esclarecida acha sempre piada a certas situações.

O que interessa aí é que até bem dentro da alta idade média o povo era pagão. Até hoje, nos mais variados locais encontram-se pequenos sacrifícios e estranhas mezinhas. Qualquer lua cheia ou equinócio é suficiente para que uma horda de desconhecidos subam as serras e aos locais de cultos milenares pré-católicos para repetirem hábitos ancestrais.

Este povo é assim. Fiel às suas origens.

Vejam com atenção por baixo dos penedos sagrados, dentro dos sombrios Carvalhais, nas proximidades dos castros e citânias. Olhem com cuidado para as áreas megalíticas e nos locais a que os antigos chamam de "Moura" ou "Mouros"(Por.ex: Poço dos Mouros, Cidade dos Mouros).

Não há coincidências neste mundo. Apenas lógica e sequências de acontecimentos que escrevem a nossa história.

1 comentário:

Galaico2 disse...

Um importante manifestação da nossas raízes.

Os principais cultos pagão estão hoje ocupados com a presença cristã.

Antigos castros ocupados com capelas, sitios de passagem, ocupados com "alminhas", fontes ocupadas com cruzes e mesmo a própria simboligia religiosa da antiga gallaecia é profundamente pagã!

Apesar do tempo, os rituais não se perderam, apenas sofreram indevidamente alterações!