quarta-feira, 17 de setembro de 2008

Feiras Novas de Ponte de Lima

Ponte do Lima belhinha
Minha terra, meu encanto
És princesa, és raínha,
Do Lima que te quer tanto

Já cheira às Feiras Novas...

Já sou mais como um calendário das festas do que um participante activo deste blog. Hoje venho cá escrever sobre maior de todas elas!

É já este fim-de-semana!

Estas festas tradicionais em honra de Nossa Senhora das Dores, mais conhecidas por “Feiras Novas”, foram criadas em 1826 pelo rei D. Pedro IV, tendo ficado populares por este nome para as distinguir das feiras quinzenais - as mais antigas do país! – ja mencionadas no foral concedido por D. Teresa a 4 de Março de 1125.
Ao contrário das feiras velhas, que têm a duração de apenas um dia, as Feiras Novas
têm duração de 3 dias e são realizadas no 3º fim de semana de Setembro.

No entanto, para quem lá vai, sabe que os três dias marcados no cartaz são uma síntese do que é no fundo, uma semana de festa... Até porque o frenesim começa logo na Quatra-Feira anterior (hoje, portanto) com o Encontro de Tocadores de Concertina da Vila, evento relativamente novo que foi criado com o reavivar do instrumento. As animações continuam por Quinta-Feira até chegar à noite dos fados, Sexta-Feira, sendo que todos os dias é possivel ouvir a concertina e os cantares pelas ruas da antiga vila!

O grande dia da festa, ou digamos, o mais profano, será Sábado, onde a afluência de gente é inimaginável. Isto, claro, devido ao aparecimento do veículo automóvel, pois antes passavam-se todos os dias na festa, sem regressar a casa, pois ir e vir a pé para quem, como os meus antepassados, morava longe, tornava-se cansativo. Mas, como estava a dizer, é neste dia onde a festa atinge o seu pique, depois do Cortejo Etnográfico (das freguesias) à tarde, chegam as Rusgas, á noite! Concertinas, cantares ao desafio, cavaquinhos, danças, reques, bombos, ferrinhos, castanholhas, cantigas centenárias, uma amostra do que corre no sangue minhoto, ou como alguns cá por baixo (por Lisboa) lhe chamam, a Alma Minhota! Só quem la vai pode sentir...

Chega então o Domingo, com a sua Noite do Fogo, na velhinha Ponte! Mas trás tambem o Cortejo Histórico e mais tarde, o Festival de Folclore no Campo do Arnado e na Praça Paço do Marquês (este ano com todos os grupos presentes, incluindo o de Lisboa e o de França).

Em todas as festas há (pelos menos) um dia dedicado à Igreja, em Ponte de Lima esse dia é a Segunda-Feira, feriado municipal. Onde se dá uma imponente procissão em honra da santa venerada, a Senhora das Dores! É incrível ver ainda a grande afluência de pessoas, depois de várias noitadas, mostrando o outro lado do ‘ser’ Minhoto. O lado religioso.
Saliente-se ainda, no fim do dia, a actuação de um grande grupo de música de raíz tradicional, os Quatro Ventos.

Quem poder ir, vá. E verá que isto não são apenas estórias...

Tenho a minha concertina preparada, pois daqui a umas horas rumo a casa! Ao Cerquido e a Ponte de Lima!

Vivam as Feiras Novas!

PS: Quem quiser ver o programa, pode fazê-lo aqui: http://www.cm-pontedelima.pt/pagina/imagens/FNProg2008.pdf

7 comentários:

Maria disse...

Bom dia.

Tenho uma colega que vive em Ponte de Lima, desde 2005. Ela e o marido só no primeiro ano é que passaram o fim-de-semana das feiras novas em Ponte de Lima. Já me falou disso algumas vezes. Na verdade, já desde a semana passada que se anda a queixar da chegada das feiras novas. :)

Tu escreveste sobre as feiras novas com um entusiasmo e de um modo tão genuino que eu fiquei arrepiada. Obrigada.

Hum... parece que as feiras novas me andam a assombrar... :P

O Galaico disse...

A mim o que me assombra é não poder ir as Feiras Novas!!

De facto, sou o primeiro a admitir que sãos as melhores festas do Minho e, por arrasto, as melhores festas populares do país.

Desde que o Zixsix numa fatídica noite me levou às Feiras Novas pela primeira vez, percebi logo que tinha ficado viciado.

Musica de todos os géneros, bares de todos os tipos, tascas para todos e sobretudo, muita concertina!

As Feiras Novas marcam também uma época especial. Começa agora o Outono.

Obviamente a raiz destas festas é fruto do calendário lunar sendo posteriormente adoptado pelo clero e de uma certa forma pela Nobreza que a "legalizou" através de práticas mais populares e "transparentes".

Maria...

Estas assombrações não serão os Deuses a dizerem-te para ires as festas de Ponte de Lima?

Repara que andas à procura do que fazer e de onde ir...

Ora bem, desde há muito, neste dia as pessoas da região se reúnem lá!

:p

...

JMTinoco disse...

As Feiras Novas Limianas são, para mim, uma das festas mais genuinas do Minho, se não a maior. Como grande é aquela pequena Vila do Lima. Aqui tudo é genuino. Ele é a festa, ele é o povo, ele é a terra,... ele é o vinho e a concertina. Muita gente diz que conhece o Minho e gosta de Minho. Mas a verdade é que ninguem o dev afirmar se nunca assistiu às feiras novas de Ponte de Lima. Aí sim. Aí está o MINHO. Eu diria o antigo Minho

zixsix disse...

É sem dúvida da maiores e melhores festas que se fazem pelo Minho.

apesar de já não haver muitos emigrantes, a gente não cabe nas ruas da Vila!

simplemente incrivel e inesqueciveis para qualquer pessoa!

contudo não concordo que sejam as mais tradicionais.

há muitos bares que não respeitam, por exemplo, a musica tradiconal!

mas tem em contrapartida muitas tascas e restaurante bem ao estilo tradicional, com cantares ao desafio e concertinas logo ali à porta.

isso sim é digno de ver e passar às gerações mais novas.

das festividades de conheço, considero a Peneda muito mais tradicional.

existem romeiros, as pessoas ainda fazem novenas, no arraial as pessoas vão para dançar e não existe aquela folia de "movida" pelas ruas!

contudo são diferentes dimensões!

estou a lembrar-me do caso do S. João de Braga que apesar da afluência, considero que essa festividade estás um pouco descaracterizada!

Cerquido disse...

Em termos de tradicionalidade acho que nada supera o S. João d'Arga a 28 de Agosto... Infelizmente, hoje em dia, há muita gente que vai às Feiras Novas para estragar e não para fazer parte da festa que é!

O Galaico disse...

Vamos a ver... As festas de maior dimensão tem sempre de ter algo mais que a tradicionalidade. Um São Jõao, Srªa da Agonia ou Feiras Novas, como festas maiores do Minho, oferecem animação para todo o tipo de gentes.

Depois, existem festas mais pequenas do tipo do São João D'arga, Peneda, São Bento, Santa Marta da Falperra e outras do género.

Aí, só há mesmo música "real" tocada se forma espontânea, devoção aos Santos locais e pique-niques, petiscos, convívio etc.

Nestas ultimas, não encontrarão muita juventude "IN" pois a festividade nada lhes tem a oferecer.

Digamos que as Feiras Novas, são as mais tradicionais das grandes romarias do Minho!

Quanto a muita gente andar lá a fazer asneiras espero que esta boca não esteja direccionada para uns visitantes de Sexta Feira que bebem uns copitos a mais...

Paraquedista disse...

Pois é, tudo verdade, uma das maiores festas do nosso Minho e do País mas, faltou aqui um clipito com uma amostra duma noite das dezenas de grupos de concertinas. Era a cereja...
No ano passado estive lá com um grupo de gente do alentejo e se Deus quizer, este ano lá estaremos de novo.
Deve ser muito triste quem diz, que a chegada das feiras novas é mau agoiro, porquê? Não me convencem, vão lá e depois digam, mas é claro que nem todos sabem apreciar uma noitada de fogo de artificio, concertinas aos molhos, os telhadinhos, e muito mais!!!
Boa saúde para todos.

WWW.PARAQUEDISTA.BLOGS.SAPO.PT